30 de junho de 2012

DOMINGO XIII DO TEMPO COMUM 01 de julho de 2012


DOMINGO XIII DO TEMPO COMUM
01 de julho de 2012
Sê curada!

Levanta-te!



Este Domingo celebra a vida mais forte que a morte, celebra Deus apaixonado pela vida
Deus ama a vida! Ele quer apenas a vida! “Deus criou o homem para ser incorruptível”. Pelo seu Filho, salva-nos da morte: eis porque Lhe damos graças em cada Eucaristia. Na sua vida terrena, Jesus sempre defendeu a vida. O Evangelho de hoje relata-nos dois episódios que assinalam a defesa da vida: Ele cura, Ele levanta. Ele torna livres todas as pessoas, dá-lhes toda a dignidade e capacidade para viver plenamente.
 “Sê curada”. O imperativo de Jesus tem algo de afectuoso para com esta mulher, restaurada na sua dignidade, restabelecida na sociedade que excluía o seu mal. Este “sê curada” aparece também como uma constatação: é a sua fé que a salvou, e Jesus alegra-Se por isso. A cura é consequência da fé, que é sempre fonte de vida e de felicidade.
“Levanta-te”. Este segundo imperativo do Evangelho deste dia é dinâmico e traduz perfeitamente este louco desejo de Deus em ver o homem vivo, o seu amor incondicional pela vida. “Adormecida”, no “sono da morte”… um estado do qual Deus nos quer fazer sair, um estado do qual Jesus nos salva. “Eu te ordeno: levanta-te”. A palavra evoca a ressurreição, o novo surgir da vida, o amor divino que nos coloca de pé. Jesus pede ao pai da jovem apenas uma coisa: “basta que tenhas fé”.
E quanto a nós, cremos verdadeiramente?

LITURGIA DA PALAVRA DO DOMINGO XIII DO TEMPO COMUM

I Leitura:                              Sab 1, 13-15; 2, 23-24

«Foi pela inveja do demónio que a morte entrou no mundo»

O Evangelho fala-nos hoje da ressurreição. Desde esta primeira leitura, a palavra de Deus procura esclarecer-nos sobre o sentido da morte: ela não é, de maneira nenhuma, um objectivo na obra da criação. Deus tudo criou para a vida. A morte é um obstáculo interposto à vida, como o é o pecado, com que o homem se opõe à realização do plano de graça do Senhor. Mas, do pecado e da morte, Jesus Cristo nos salvou.

Salmo  29            Eu Vos louvarei, Senhor, porque me salvastes.


II Leitura:                            2 Cor 8, 7.9.13-15

«Aliviai com a vossa abundância a indigência dos irmãos pobres»

S. Paulo está procurando angariar fundos, na comunidade de Corinto, para socorrer a comunidade muito pobre de Jerusalém. Procura, para isso, fazer compreender aos cristãos que esta troca de bens materiais vem, por um lado, estabelecer a igualdade entre todos, e, por outro, proporcionar-lhes ocasião de se mostrarem generosos, eles que foram tão enriquecidos à custa da pobreza que o Senhor quis suportar por todos nós.

ALELUIA              Jesus Cristo, nosso Salvador, destruiu a morte
e  fez brilhar a vida por meio do Evangelho.

Evangelho:                                         Mc 5, 21-43

«Menina, Eu te ordeno: Levanta-te»

Dois milagres, em que Jesus Se manifesta o Senhor da vida. Mais de uma vez, Ele próprio Se definiu como sendo a Vida. É assim, porque é o Filho de Deus. Fazendo-Se homem, a sua humanidade é agora o instrumento, bem próximo de nós, da sua divindade, de sorte que aproximar-se d’Ele é aproximar-se da Vida, como o pôde experimentar a mulher doente e a filha de Jairo, que morrera. É pela fé que nos podemos aproximar de Jesus, fé que, nos sacramentos, nos leva a ver o prolongamento dos gestos do Senhor no meio dos homens.

PALAVRA DE DEUS PARA A SEMANA DE 02 A 07 DE JULHO

2 jul seg
Am 2, 6-10. 13-16 – Salmo 49 – Mt 8, 18-22
“Segue-Me”

3 jul ter
SÃO TOMÉ, APÓSTOLO (F)
Ef 2, 19-22 – Salmo 116 – Jo 20, 24-29
“Meu Senhor e meu Deus!”

4 jul qua
Santa Isabel de Portugal  (MO)
Am 5, 14-15. 21-24 – Salmo 49 – Mt 8, 28-34
“Vieste aqui atormentar os demónios antes do tempo”

5 jul qui
Santo António maria Zacarias, presbítero  (MF)
Am 7, 10-17 – Salmo 18 B – Mt 9, 1-8
“Glorificaram a Deus por ter dado tal poder aos homens”

6 jul sex
Santa Maria  Goretti, virgem e mártir  (MF)
Am 8, 4-6. 9-12 – Salmo 118 B – Mt 9, 9-13
“Não são os que têm saúde que precisam do médico.
Prefiro a misericórdia ao sacrifício”

7 jul sab
Am 9, 11-15 – Salmo 84 – Mt 9, 14-17
“Podem os companheiros do esposo ficar de luto,
 enquanto o esposo estiver com eles?”



PREPARANDO A LITURGIA PARA  O PRÓXIMO DOMINGO:

Ez 2, 2-5
«São uma casa de rebeldes,
mas saberão que há um profeta no meio deles»

Salmo 122
“Os nossos olhos estão postos no Senhor,
até que Se compadeça de nós”

2 Cor 12, 7-10
«Gloriar-me-ei nas minhas fraquezas,
para que habite em mim o poder de Cristo»

Mc 6, 1-6
«Um profeta só é desprezado na sua terra»

INTENÇÕES LEMBRADAS NA EUCARISTIA  DE 01 DE JULHO

 João de Jesus Pinto, de Requim e sua mãe; Natália Fernanda da Silva Alves e seus avós; Margarida
Teixeira de Jesus, marido e filho; António Vieira, esposa e filho; Joaquim Pinto Vieira e esposa;
Maria Rosa Leal Pinheiro; Ana Rosa Soares e Gaspar Aguiar Vasconcelos

INTENÇÕES PARA A EUCARISTIA  DE 08 DE JULHO
António Silva; Emídio Luís; António Pinto Melo; Alexandre da Silva Azeredo; Maria Pinto da Costa
e marido, de Requim; António Silva Pinto e seus pais; Manuel Joaquim Teixeira; Luís Vieira; Maria
da Conceição Pinheiro da Silva e  30º Dia por António Luís do Lameu.

VAI ACONTECER NA PARÓQUIA
·         Quinta-feira, 5 de julho,  Reunião das Vicentinas
·         Sábado,  7 de julho, Conferencia: A Família: o Trabalho e a Festa com o cónego Fernando Milheiro. CDF, 21:00h
·         Domingo,  8 de julho, Eucaristia e Festa dos Adolescentes. 11:00h
·         Domingo,  8 de julho,  Leilão de Oferendas a favor da Comissão de Festas.  Amieiro, durante a tarde.


50 anos de Partilha do Dom de Deus

Ø  Inscrições para a Via Sacra na serra do Buçaco até 8 de julho
Ø  Inscrições para o jantar de 5 de agosto até 15 de julho


PRÓXIMO SÁBADO, 7 de julho
  • Conferência – A Família: o Trabalho e a Festa, por Cónego Fernando Milheiro, Pároco de Campanhã.
Auditório do CDF, 21:00h




26 de junho de 2012

Dia do Padroeiro 2012


video

Conferência: A Família, O trabalho e a Festa

CONFERÊNCIA
A FAMÍLIA: O TRABALHO E A FESTA
Por Cónego Fernando Milheiro
7 de julho de 2012






O amor é o pão da mesa da família
Em Família Deus nos criou  e numa família nos recria
A família: homem e mulher
imagem “imperfeita” de Deus em busca do que falta…
… descoberta de si e dos outros
Na aliança conjugal torna-se visível Deus que  tudo renova: 
a família: Amor, centelha de Deus que faz anunciar, celebrar e viver o Evangelho da Vida.




A família, berço da vida nascida da comunhão dos esposos
A família, escola de afetos no colo da mãe no abraço do pai e de virtudes como as de dar a vida pelos outros: célula da sociedade, igreja doméstica


Pelo trabalho cada um dá frutos e torna a terra mais bela



- Dou-vos tudodai frutose contemplai a obra das vossas mãos!
Quem não trabalha, vegeta e vai morrendo.
O trabalho é um bem coloca-nos em relação de convivência e de afeto.
 Cria laços e abre uma nova esperança.

A pessoa deve estar no centro da vida e mostrar-se em gestos de solidariedade
Deus colocou-nos num jardim para dele colhermos o fruto das nossas mãos.
O trabalho é um bem árduo mas útil e digno
A família é a primeira escola de trabalho
Ele vale porque é uma pessoa quem o executa: todos são dignos!

Festa: celebrar as maravilhas saídas das nossas mãos!
 “Ide,…amai como Eu”… e os cristãos exigiram o Domingo:
 “Não podemos viver sem o Domingo!”
O Domingo é mais do que dia livre, pausa, é dia de encontro connosco, com a família, com os outros e com Deus: conviver em Igreja dia dos milagres ou gestos de libertação… de levar para o Altar o pão das dores e trazê-lo como Alimento que dá Vida
Família unida não morre em si será escola de Missão em gestos de serviço
Viver segundo o Domingo é acreditar, esperar e colocar-se em atitude permanente serviço.
Hoje é tempo de saber dar aos mais novos os valores da Família, do trabalho e da festa (Domingo) pois são caminho seguro de realização pessoal, familiar e comunitária.
A vida humana é a mais maravilhosa das descobertas de Deus: vive-se com outros, amando.











24 de junho de 2012

Solenidade do Nascimento de S. João Batista

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA
24 de junho de 2012

Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo,
irás à frente do Senhor a preparar os seus caminhos.
Lc 1, 76
Ao celebrar esta solenidade, estamos a celebrar o Deus/amor, que se revela na figura do profeta João.
O profeta é alguém chamado a testemunhar Deus no meio dos homens, mesmo quando os homens preferem ignorar Deus e edificar a sua vida à margem de Deus.
João Baptista, o profeta, assumiu plenamente a missão de testemunhar Deus: convocou os homens para o encontro com o Deus incarnado, convidou os homens a despirem o egoísmo, o orgulho, a auto-suficiência, a violência, a ganância, e a preparar o coração para acolher a proposta de salvação que Deus veio fazer, em Jesus. Este programa não perdeu actualidade: o apelo à conversão, à revolução das mentalidades e das atitudes e o convite a acolher a libertação que Deus nos oferece continuam a fazer sentido e a ser o núcleo essencial do anúncio profético.
www.dehonianos.org

LITURGIA DA PALAVRA DA SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA

I Leitura:                              Is  49, 1-6

«Farei de ti a luz das nações»

O profeta é o homem a quem Deus elegeu, a fim de que a sua Palavra chegue aos outros homens; através dele, Deus dirige-nos as suas propostas e propõe aos homens um caminho que os leva a viver em relação com Deus. O texto apresenta esta misteriosa figura profética como alguém a quem Deus chamou a testemunhar a Palavra. A missão desse “servo” tem carácter universal e realiza-se no sofrimento e no abandono à Palavra e aos projectos de Deus; mas o sofrimento desse “servo” não é em vão, e tem um significado expiatório e redentor. Do sofrimento que acompanha a missão do “servo”, resulta o perdão para o pecado do Povo. Deus aprecia o sacrifício do “servo”, recompensá-lo-á pela doação da vida, elevá-lo-á à vista de todos e fá-lo-á triunfar diante dos seus detractores e adversários.

Salmo  138                          Eu Vos dou graças, Senhor,
porque maravilhosamente me criastes.
               

II Leitura:            Actos 13, 22-26

«João tinha proclamado, antes da vinda de Cristo...»


João Baptista é apresentado como aquele que veio preparar a vinda de Jesus, propondo um baptismo de conversão (a expressão grega “baptisma metanoías” faz alusão a uma transformação radical das mentalidades, a fim de que a proposta do “Reino” trazida por Jesus possa encontrar acolhimento no coração e na vida de todos os homens) a todo o povo de Israel (vers. 24). João Baptista não é o Messias esperado, mas o profeta que anuncia aquele que virá a seguir e ao qual o próprio João não se sente sequer digno de “desatar as sandálias”
 A missão do profeta não é dirigir o olhar do mundo na sua própria direcção, mas sim o orientar o coração dos homens para o essencial, para Deus.

ALELUIA              Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo,
irás à frente do Senhor a preparar os seus caminhos.

Evangelho:                         Lc 1, 57-66.80

«O seu nome é João»

No relato do nascimento de João, transparece a centralidade de Deus na vida do profeta, desde o seio materno. O profeta é um homem de Deus, cuja vida tem origem em Deus, cuja vocação só faz sentido à luz de Deus, cujo alimento é o próprio Deus, cujas palavras são palavras de Deus

PALAVRA DE DEUS PARA A SEMANA DE 25 A 30 DE  JUNHO

25 Seg 
2Rs 17, 5-8. 13-15a 18 – Salmo 59 – Mt 7, 1-5
“Tira primeiro a trave da tua vista”

26 Ter
São Josemaria Escrivá, presbítero (MF)
2Rs 19, 9b-11. 14-21. 31-35a. 36 – Salmo 47 – Mt 7, 6. 12-14
“Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam fazei-o também a eles”

27 Qua
São Cirilo de Alexandria, bispo e doutor da Igreja  (MF)
2RS 22, 8-13; 23, 1-3 – Salmo 118 – Mt 7, 15-20
“Pelos frutos os conhecereis”

28 Qui
Santo Ireneu, bispo e mártir (MO)
2Rs 24, 8-17 – Salmo 78 – Mt 7, 21-19
“A casa edificada sobre a rocha e a casa edificada sobre a areia”

29 Sex
SÃO PEDRO E SÃO PAULO, APÓSTOLOS  (S)
Act 12, 1-11 – Salmo 33 – 2Tm 4, 6-8. 17-18 – Mt 16, 13-19
“Tu és Pedro e dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus”

30 Sáb
Primeiros Santos Mártires da Igreja de Roma  (MF)
Lm 2, 2. 10-14. 18-19 – Salmo 73 – Mt 8, 15-17
“Do Oriente e do Ocidente virão muitos para o Reino dos Céus”




PREPARANDO A LITURGIA PARA  O PRÓXIMO DOMINGO:

Sab 1, 13-15; 2, 23-24
«Foi pela inveja do demónio que a morte entrou no mundo»

Salmo 29
Eu Vos louvarei, Senhor, porque me salvastes

2 Cor 8, 7.9.13-15
«Aliviai com a vossa abundância a indigência dos irmãos pobres»

Mc 5, 21-24.35b-43
«Menina, Eu te ordeno

INTENÇÕES LEMBRADAS NA EUCARISTIA  DE 24 DE JUNHO

·         Manuel Barbosa Araújo; Manuel da Silva Pinto; Martinho da Silva Pereira; Manuel Pinto da Costa; Maria Emília Ferreira, da Sra. da Piedade; Ricardo Luís e filha; Joaquim Moreira e esposa, do Alto; Maria Luísa de Sousa e marido, de Vila Nova; Joaquim Vieira e esposa, das Regadas; Gualter Ferraz Pinto, de Vila Nova; Associados da Mensagem de Fátima; Fernando Monteiro da Silva Cabral; José Moreira, esposa e filho; Rosa de Jesus; Manuel Duarte Moreira; Missa de Acção de Graças de Madalena Isabel Almeida


INTENÇÕES PARA A EUCARISTIA  DE 01 DE JULHO
·         João de Jesus Pinto, de Requim e sua mãe; Natália Fernanda da Silva Alves e seus avós; Margarida Teixeira de Jesus, marido e filho; António Vieira, esposa e filho; Joaquim Pinto Vieira e esposa; Maria Rosa Leal Pinheiro


·         26 de junho: Dia do Padroeiro. Eucaristia às 19:00h
·         29 de junho: Solenidade de S.Pedro e S. Paulo. Eucaristia às 21:00h
·         01 de julho: Eucaristia Dominical às 09:00h
   
                    50 anos de Partilha do Dom de Deus
           
                                   Inscrições para a Via Sacra na serra do Buçaco até 8 de julho
                        
                   Inscrições para o jantar de dia 5 de agosto até 15 de julho
2
                  26 de junho:
  • Dia do Padroeiro. Atividade: celebração da Eucaristia e convívio paroquial. Adro da Igreja, 19:00h

7               7 de julho
  • Conferência – A Família: o Trabalho e a Festa, por Cónego Fernando Milheiro, Pároco de Campanhã. 

22 de junho de 2012


SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA
24 de junho de 2012
Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo,
irás à frente do Senhor a preparar os seus caminhos.
Lc 1, 76
Ao celebrar esta solenidade, estamos a celebrar o Deus/amor, que se revela na figura do profeta João.
O profeta é alguém chamado a testemunhar Deus no meio dos homens, mesmo quando os homens preferem ignorar Deus e edificar a sua vida à margem de Deus.
João Baptista, o profeta, assumiu plenamente a missão de testemunhar Deus: convocou os homens para o encontro com o Deus incarnado, convidou os homens a despirem o egoísmo, o orgulho, a auto-suficiência, a violência, a ganância, e a preparar o coração para acolher a proposta de salvação que Deus veio fazer, em Jesus. Este programa não perdeu actualidade: o apelo à conversão, à revolução das mentalidades e das atitudes e o convite a acolher a libertação que Deus nos oferece continuam a fazer sentido e a ser o núcleo essencial do anúncio profético.
www.dehonianos.org

LITURGIA DA PALAVRA DA SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BAPTISTA

I Leitura:                              Is  49, 1-6

«Farei de ti a luz das nações»

O profeta é o homem a quem Deus elegeu, a fim de que a sua Palavra chegue aos outros homens; através dele, Deus dirige-nos as suas propostas e propõe aos homens um caminho que os leva a viver em relação com Deus. O texto apresenta esta misteriosa figura profética como alguém a quem Deus chamou a testemunhar a Palavra. A missão desse “servo” tem carácter universal e realiza-se no sofrimento e no abandono à Palavra e aos projectos de Deus; mas o sofrimento desse “servo” não é em vão, e tem um significado expiatório e redentor. Do sofrimento que acompanha a missão do “servo”, resulta o perdão para o pecado do Povo. Deus aprecia o sacrifício do “servo”, recompensá-lo-á pela doação da vida, elevá-lo-á à vista de todos e fá-lo-á triunfar diante dos seus detractores e adversários.

Salmo  138                          Eu Vos dou graças, Senhor,
porque maravilhosamente me criastes.
               

II Leitura:            Actos 13, 22-26

«João tinha proclamado, antes da vinda de Cristo...»


João Baptista é apresentado como aquele que veio preparar a vinda de Jesus, propondo um baptismo de conversão (a expressão grega “baptisma metanoías” faz alusão a uma transformação radical das mentalidades, a fim de que a proposta do “Reino” trazida por Jesus possa encontrar acolhimento no coração e na vida de todos os homens) a todo o povo de Israel (vers. 24). João Baptista não é o Messias esperado, mas o profeta que anuncia aquele que virá a seguir e ao qual o próprio João não se sente sequer digno de “desatar as sandálias”
 A missão do profeta não é dirigir o olhar do mundo na sua própria direcção, mas sim o orientar o coração dos homens para o essencial, para Deus.

ALELUIA              Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo,
irás à frente do Senhor a preparar os seus caminhos.

Evangelho:                         Lc 1, 57-66.80

«O seu nome é João»

No relato do nascimento de João, transparece a centralidade de Deus na vida do profeta, desde o seio materno. O profeta é um homem de Deus, cuja vida tem origem em Deus, cuja vocação só faz sentido à luz de Deus, cujo alimento é o próprio Deus, cujas palavras são palavras de Deus

PALAVRA DE DEUS PARA A SEMANA DE 25 A 30 DE  JUNHO

25 Seg 
2Rs 17, 5-8. 13-15a 18 – Salmo 59 – Mt 7, 1-5
“Tira primeiro a trave da tua vista”

26 Ter
São Josemaria Escrivá, presbítero (MF)
2Rs 19, 9b-11. 14-21. 31-35a. 36 – Salmo 47 – Mt 7, 6. 12-14
“Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam fazei-o também a eles”

27 Qua
São Cirilo de Alexandria, bispo e doutor da Igreja  (MF)
2Rs 22, 8-13; 23, 1-3 – Salmo 118 – Mt 7, 15-20
“Pelos frutos os conhecereis”

28 Qui
Santo Ireneu, bispo e mártir (MO)
2Rs 24, 8-17 – Salmo 78 – Mt 7, 21-19
“A casa edificada sobre a rocha e a casa edificada sobre a areia”

29 Sex
SÃO PEDRO E SÃO PAULO, APÓSTOLOS  (S)
Act 12, 1-11 – Salmo 33 – 2Tm 4, 6-8. 17-18 – Mt 16, 13-19
“Tu és Pedro e dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus”

30 Sáb
Primeiros Santos Mártires da Igreja de Roma  (MF)
Lm 2, 2. 10-14. 18-19 – Salmo 73 – Mt 8, 15-17
“Do Oriente e do Ocidente virão muitos para o Reino dos Céus”




PREPARANDO A LITURGIA PARA  O PRÓXIMO DOMINGO:

Sab 1, 13-15; 2, 23-24
«Foi pela inveja do demónio que a morte entrou no mundo»

Salmo 29
Eu Vos louvarei, Senhor, porque me salvastes

2 Cor 8, 7.9.13-15
«Aliviai com a vossa abundância a indigência dos irmãos pobres»

Mc 5, 21-24.35b-43
«Menina, Eu te ordeno


INTENÇÕES LEMBRADAS NA EUCARISTIA  DE 24 DE JUNHO

·         Manuel Barbosa Araújo; Manuel da Silva Pinto; Martinho da Silva Pereira; Manuel Pinto da Costa; Maria Emília Ferreira, da Sra. da Piedade; Ricardo Luís e filha; Joaquim Moreira e esposa, do Alto; Maria Luísa de Sousa e marido, de Vila Nova; Joaquim Vieira e esposa, das Regadas; Gualter Ferraz Pinto, de Vila Nova; Associados da Mensagem de Fátima; Fernando Monteiro da Silva Cabral; José Moreira, esposa e filho; Rosa de Jesus; Manuel Duarte Moreira; Missa de Acção de Graças de Madalena Isabel Almeida



INTENÇÕES PARA A EUCARISTIA  DE 01 DE JULHO
·         João de Jesus Pinto, de Requim e sua mãe; Natália Fernanda da Silva Alves e seus avós; Margarida Teixeira de Jesus, marido e filho; António Vieira, esposa e filho; Joaquim Pinto Vieira e esposa; Maria Rosa Leal Pinheiro


·         26 de junho: Dia do Padroeiro. Eucaristia às 19:00h
·         29 de junho: Solenidade de S.Pedro e S. Paulo. Eucaristia às 21:00h
·         01 de julho: Eucaristia Dominical às 09:00h
   
                    50 anos de Partilha do Dom de Deus
           
                                   Inscrições para a Via Sacra na serra do Buçaco até 8 de julho
                        
                   Inscrições para o jantar de dia 5 de agosto até 15 de julho
2
                  26 de junho:
  • Dia do Padroeiro. Atividade: celebração da Eucaristia e convívio paroquial. Adro da Igreja, 19:00h

7               7 de julho
  • Conferência – A Família: o Trabalho e a Festa, por Cónego Fernando Milheiro, Pároco de Campanhã. 








17 de junho de 2012

Domingo XI do Tempo Comum

DOMINGO XI DO TEMPO COMUM
17 de junho de 2012


O projeto de salvação que Deus tem para a humanidade revela-se no anúncio do Reino, feito por Jesus de Nazaré. Nas suas palavras, nos seus gestos, Jesus propôs um caminho novo, uma nova realidade; lançou a semente da transformação dos corações, das mentes e das vontades, de forma a que a vida dos homens e das sociedades se construa de acordo com os esquemas de Deus. Essa semente não foi lançada em vão: está entre nós e cresce por ação de Deus. Resta-nos acolher essa semente e deixar que Deus realize a sua ação.
A parábola do grão de mostarda é um convite à esperança, à confiança e à paciência. Nos factos aparentemente irrelevantes, na simplicidade e normalidade de cada dia, na insignificância dos meios, esconde-se o dinamismo de Deus que actua na história e que oferece aos homens caminhos de salvação e de vida plena. A pequenez da semente convida-nos a rever os nossos critérios de atuação e a nossa forma de olhar o mundo e os nossos irmãos. Por vezes, é naquilo que é pequeno, débil e aparentemente insignificante que Deus Se revela. Deus está nos pequenos, nos humildes, nos pobres, nos que renunciaram a esquemas de triunfalismo e de ostentação; e é deles que Deus Se serve para transformar o mundo.
Num tempo histórico como o nosso, marcado por “sombras”, por crises e por graves inquietações, Deus caminha connosco e, garantidamente, leva-nos pela mão ao encontro de um final feliz.
www.dehonianos.org 



LITURGIA DA PALAVRA DO DOMINGO XI DO TEMPO COMUM

I Leitura:                             Ez 17, 22-24

«Elevo a árvore modesta»

Foi talvez esta passagem do profeta que ofereceu a Jesus ocasião para anunciar as duas pequenas parábolas que vamos escutar no Evangelho. O profeta mostra-nos como de um pequeno ramo Deus pode fazer o começo de uma árvore frondosa. Assim foram os princípios e depois o desenvolvimento do reino de Deus, porque o vigor da vida de Deus aí estava.

Salmo  91                            “É bom louvar-Vos, Senhor.”
               

II Leitura:                            2 Cor 5, 6-10

“Empenhamo-nos em agradar ao Senhor,
quer continuemos a habitar neste corpo, quer tenhamos de sair dele”

O cristão vive neste mundo sempre numa grande tensão entre a experiência diária desta vida e a como que a saudade da vida futura, como exilado mas cheio de esperança, sem nunca perder de vista o termo para onde caminha. Lá há-de encontrar toda a sua vida nas mãos de Deus, com o que nela tiver feito de bom ou de mau.

ALELUIA              “ A semente é a palavra de Deus e o semeador é Cristo:
quem O encontrar permanecerá para sempre.”


Evangelho:                         Mc 4, 26-34

«A menor de todas as sementes torna-se a maior de todas as plantas da horta»

A pregação de Jesus, ao apresentar o mistério do reino de Deus, e, depois, a pregação continuada na Igreja, é comparada a uma sementeira. O seu desenvolvimento é lento, mas constante e vigoroso, porque é forte a vitalidade da semente, que é a Palavra de Deus. É essa a vitalidade que a faz germinar, crescer, chegar à hora da colheita. A humildade dos começos não é obstáculo à grandeza que o reino de Deus há-de atingir na hora da ceifa.

PALAVRA DE DEUS PARA A SEMANA DE 18 A 23  DE  JUNHO
Seg 18  1Rs 21, 1-16 – Salmo 5 – Mt 5, 38-42
“Amai os vossos inimigos”

Ter 19   São Romualdo, abade (MF)
1Rs 21, 17-29 – Salmo 50 – Mt 5, 43-48
“Amai os vossos inimigos”

Qua 20  Beatas sancha e Mafalda, virgens, e Teresa, religiosa (MF)
2Rs  2, 1. 6-14 – Salmo 30 – Mt 6, 1-6. 16-18
“Teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa”

Qui 21   São Luiz Gonzaga, religioso (MO)
Eclo  48, 1-14 – Salmo 96 – Mt 6, 7-15
“Orai assim”

Sex 22  São Paulino do Nola, bispo; São João Fisher, bispo, e São Tomás Moro, mártires (MF)
2Rs 11, 1-4.  9-18. 20 – Salmo 131 – Mt 6, 19-23
“Onde estiver o teu tesouro, aí estará o teu coração”

Sáb 23  2Cr 24, 17-25 – Salmo 88 – Mt 6, 24-34
“Não vos inquieteis com o dia de amanhã”




PREPARANDO A LITURGIA PARA  O PRÓXIMO DOMINGO:
 Nascimento de São João Baptista


Is 49, 1-6              «Farei de ti a luz das nações»

Salmo 138:         “ Senhor, eu Vos dou graças por tantas maravilhas. As Vossas obras são admiráveis! ”

Atos 13, 22-26   “João tinha proclamado, antes da vinda de Cristo...     
Lc 1, 57-66.80     “O seu nome é João”

INTENÇÕES LEMBRADAS NA EUCARISTIA  DE 17 DE JUNHO
·         Luísa Pereira e marido, do Alto; Albino Teixeira Pinto e esposa, de Requim; Missa de aniversário por Carlos André; José de Azeredo e Silva; António Monteiro Teixeira; Maria da Conceição Moreira, de Vila; António Carneiro Silva e sogro; António Araújo das Lapas; José Gomes de Araújo e pais de Idalina Ferraz; Emídio Ribeiro; José de Araújo; Maria da Conceição Leal Pinto; Maria Pereira Madureira e marido, do Entroncamento; António da Silva Luís, da Associação

INTENÇÕES PARA A EUCARISTIA  DE 24  DE JUNHO
·         Manuel Barbosa Araújo; Manuel da Silva Pinto; Martinho da Silva Pereira; Manuel Pinto da Costa; Maria Emília Ferreira, da Sra. da Piedade; Ricardo Luís e filha; Joaquim Moreira e esposa, do Alto; Maria Luísa de Sousa e marido, de Vila Nova; Joaquim Vieira e esposa, das Regadas; Gualter Ferraz Pinto, de Vila Nova, Ação de Graças de Madalena Isabel Almeida

23    de junho:     Vamos continuar a limpar o adro da Igreja! (a partir das 8:00h)
24 de junho:      Festa da Profissão de Fé (11:00h)

50 anos de Partilha do Dom de Deus

Inscrições para a Via Sacra na serra do Buçaco até ao dia 8 de julho

26 de junho:
·         Dia do Padroeiro. Atividade: celebração da Eucaristia e convívio paroquial. Adro da Igreja, 19:00h

7 de julho
·         Conferência – A Família: o Trabalho e a Festa, por Cónego Fernando Milheiro, Pároco de Campanhã.
Auditório do CDF, 21:00h